VOCÊ NÃO ESTÁ NA PÁGINA PRINCIPAL. CLIQUE AQUI PARA RETORNAR



quarta-feira, julho 19, 2006

OS PERÍODOS DA REFORMA E DA PÓS-REFORMA - c. 1500 – c. 1750 - PARTE II

HISTÓRIA DA TEOLOGIA CRISTÃ


Teólogos Fundamentais

A era da Reforma é considerada por muitos como um dos períodos mais criativos na história da teologia cristã. Normalmente, três teólogos destacam-se por sua importância singular: Martinho Lutero, João Calvino e Ulrich Zuínglio. Dentre eles, os dois primeiros possuem especial relevância. Embora, Ulrich Zuínglio, seja por si mesmo uma grande figura, foi ofuscado pelo talento criativo e pelo impacto teológico de Martinho Lutero e João Calvino.


Martinho Lutero (1483-1546)

Martinho Lutero estudou na Universidade de Erfurt, havendo, a princípio, cursado a faculdade de humanidades, antes de iniciar seus estudos em teologia no monastério agostiniano local. Ele, em 1512, foi indicado como professor de estudos bíblicos, na Universidade de Wittenberg, havendo dado aulas sobre Salmos (1513-1515), Romanos (1515-1516), Gálatas (1516-1517) e Hebreus (1517-1518). Nesse período, pode-se notar que a teologia de Martinho Lutero passou por uma série de transformações , especialmente em relação à doutrina da justificação. Seu estrito envolvimento com textos bíblicos, nesse período, parece tê-lo levado a uma crescente insatisfação com as perspectivas sustentadas pela via moderna em relação a esse tema.

Martinho Lutero, em 1517, despertou, pela primeira vez, o interesse público, por meio da publicação de sua obra, Noventa e cinco teses, a respeito das indulgências. Martinho Lutero, a seguir, no Debate de Leipzig (junho-julho de 1519), firmou sua reputação como um crítico radical do escolasticismo. Ele, em 1520, publicou três tratados que consolidaram sua crescente reputação como um teólogo reformador. Martinho Lutero, em sua obra, Appeal to the Christian Nobility of the German Nation [Apelo à Nobreza Germânica Cristã], faz uma defesa apaixonada em favor da necessidade de reforma da igreja. A igreja do início do século XVI, tanto em relação a sua doutrina quanto a suas práticas, havia se distanciado do Novo Testamento. A linguagem incisiva e espirituosa de Martinho Lutero , acrescentou um apelo popular a certas idéias teológicas bastante sérias.

Martinho Lutero, encorajado pelo sucesso impressionante dessa obra, deu prosseguimento a ela com The Babylonian Captivity of the Christian Church [O Cativeiro Babilônico da Igreja Cristã]. Martinho Lutero, nessa impressionante obra, defende a idéia de que o evangelho havia se tornado cativo da igreja instituída. Conforme ele alegava, a igreja medieval havia aprisionado o evangelho em um complexo sistema de sacerdotes e sacramentos. A igreja havia se tornado a senhora do evangelho, quando deveria ser sua serva. Martinho Lutero, trata esse aspecto com mais profundidade na obra The liberty of a Christian [Da liberdade do Cristão], em que explora as conseqüências da doutrina da justificação pela fé para a vida cristã.

Martinho Lutero foi talvez o mais criativo dos reformadores. Contudo, seu impacto, em termos de teologia, não se fundamenta em alguma grande obra. A maior parte dos escritos de Martino Lutero foram produzidos em resposta a algum tipo de controvérsia. Somente seus dois catecismos (1529) podem realmente ser considerados como apresentações sistemáticas dos fundamentos da fé cristã. É provável que o papel predominantemente pastoral os impeça de ser qualificados como obras teológicas de cunho acadêmico, as quais devem ser encaradas com seriedade. Entretanto, certos aspectos da teologia de Martinho Lutero tem tido um profundo impacto sobre o pensamento cristão ocidental. Por exemplo, sua “teologia da cruz”, brevemente introduzida em um documento datado de 1518 (o Debate de Heidelberg) o qual teve considerável impacto sobre a teologia do século XX, conforme demonstram obras como O The Crucified God [O Deus Crucificado], de Jürgen Moltman.


João Calvino (1509 - 1564)

João Calvino nasceu em Noyon, a nordeste de Paris, em 1509. Educado na Universidade de Paris, dominada pelo pensamento escolástico, ele transferiu-se mais tarde para a Universidade de Orleans, de tendências mais humanistas, na qual estudou o Direito civil. Embora , a princípio, se inclinasse para a carreira acadêmica, passou por uma experiência de conversão, por volta dos vinte e cinco anos, que o levou a tornar-se cada vez mais ligado aos movimentos de reforma em Paris, obrigando-o, posteriormente, a exilar-se na Basiléia.

A segunda geração de reformadores tinha uma consciência muito maior que a anterior a respeito da necessidade de obras que tratassem da teologia sistemática. João Calvino, a grande figura do segundo período da Reforma, percebeu a necessidade de produzir uma obra que introduzisse, de forma clara,os fundamentos da teologia evangélica, justificando-os com base nas Escrituras e defendendo-os da crítica católica. Ele , em 1536, publicou uma pequena obra, com apenas seis capítulos, intitulada Institutas da Religião Cristã. João Calvino , nos vinte e cinco anos posteriores, mexeu nessa obra, adicionando-lhe outros capítulos e reorganizando o material. À época de sua última edição (1559), a obra tinha oitenta capítulos e subdividia-se em quatro livros.

O primeiro livro, tratava do Deus criador e de sua soberania em relação àquilo que havia criado. O segundo livro, trata da necessidade de salvação do ser humano e de como alcançar essa redenção por meio de Cristo, o mediador. O terceiro livro, trata da maneira pela qual o ser humano se apropria dessa redenção, enquanto o último livro trata da igreja e de seu relacionamento com a sociedade.

Embora, com freqüência, insinue-se que a predestinação ocupe lugar central no sistema desenvolvido por João Calvino, isso não corresponde à verdade; o único princípio que parece nortear a forma como ele organizou seu sistema teológico é, por um lado, a preocupação de ser fiel às Escrituras e, por outro lado, a obtenção de máxima clareza possível na apresentação dos temas.

João Calvino, após resolver suas pendências em Noyon, no início de 1536, dedicou-se à uma vida de estudos, na grande cidade de Estrasburgo. Infelizmente, a estrada que levava diretamente de Noyon para Estrasburgo estava impedida, em razão do início de uma guerra travada entre Francisco I , da França, e o imperador Carlos V. Assim, João Calvino foi forçado a tomar um longo desvio , passando pela cidade de Genebra, que havia conquistado recentemente sua independência do território vizinho de Sabóia. Genebra passava, nesse momento, por um período conturbado, havendo acabado de destituir o bispo local e dado início a um controvertido programa de reforma, sob a liderança dos franceses Guilherme Farel e Pierre Viret. Ao ouvir que João Calvino estava na cidade, eles exigiram sua permanência lá e ajuda na causa da Reforma. Eles precisavam de um bom mestre. João Calvino concordou com relutância.

Seus esforços para proporcionar sólidas bases de doutrina e disciplina para a igreja de Genebra encontraram forte resistência. Após uma série de disputas , as coisas atingiram um ponto crítico no dia da Páscoa, em 1538: João Calvino foi expulso da cidade e buscou refúgio em Estrasburgo. João Calvino, havendo chegado a Estrasburgo dois anos após o planejado, começou a recuperar o tempo perdido. Rapidamente, ele produziu uma série de grandes obras teológicas. Talvez ainda mais relevante tenha sido o fato de que ele revisou e expandiu suas Institutas (1539), bem como produziu a primeira versão francesa dessa obra (1541). João Calvino, na posição de pastor de uma congregação de língua francesa que havia na cidade, pôde adquirir experiência a respeito de problemas práticos enfrentados pelos pastores reformados. Por intermédio de sua amizade com Martin Bucer, o reformador de Estrasburgo, pôde desenvolver suas idéias sobre o relacionamento existente entre a cidade e a igreja.

Na ausência de João Calvino, a situação religiosa e política da cidade de Genebra havia se deteriorado. Em setembro de 1541, a cidade pediu a João Calvino que voltasse e restaurasse a ordem e a segurança. O João Calvino que regressou a Genebra era um jovem mais sábio e experiente, bem mais preparado para enfrentar as tarefas que o aguardavam do que há três anos. Sua experiência em Estrasburgo emprestou novo realismo a sua teoria sobe a natureza da igreja, o que é retratado em seus escritos posteriores sobre esse tema. João Calvino, à época de sua morte, em 1564, havia feito de Genebra o centro de um movimento internacional, que passou a carregar seu nome. O calvinismo ainda é um dos movimentos intelectuais mais poderosos e significativos da história da humanidade.


Ulrich Zuínglio (1484 – 1531)

O reformador suíço Ulrich Zuínglio estudou nas Universidades de Viena e da Basiléia,antes de assumir uma função paroquial , no leste da Suíça. Seu ávido interesse pelo programa do humanismo cristão é evidente, em especial pelos escritos de Erasmo, tendo-se tornado fiel à crença da necessidade de reforma da igreja de sua época. Em 1519, ele assumiu uma posição pastoral na cidade de Zurique, onde fez uso do púlpito da Grande Igreja Monástica, a principal igreja da cidade, para difundir um programa de reforma. A princípio, esse programa voltava-se principalmente à reforma ética da igreja. Contudo, logo se expandiu, incluindo a crítica à teologia da igreja existente na época, particularmente em relação ao aspecto de sua teologia relativa aos sacramentos. O termo “zuingliano” é usado especialmente para se referir à crença , associada a Ulrich Zuínglio, de que Cristo não está presente na eucaristia, cuja melhor explicação seria: ato celebrado em memória da morte de Cristo.

Ulrich Zuínglio teve importância fundamental para o início da propagação da Reforma, especialmente no leste da Suíça. Entretanto, ele jamais alcançou o mesmo impacto de Martinho Lutero ou João Calvino, pois lhe faltava a criatividade do primeiro e a abordagem sistemática do último. O leitor encontrará grande variação de grafia do primeiro nome de Ulrich Zuínglio, sendo “Ulrico”, “Ulrich” e “Huldreich” usados preferivelmente a “Huldrych”.


RETORNAR AO ÍNDICE DE HISTÓRIA DA TEOLOGIA CRISTÃ

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home